terça-feira, 16 de março de 2010

PERDA DOS ROYALTIES É PEDIR CONCORDATA PARA O ESTADO, DIZ PAULO MELO

Programas governamentais paralisados, Copa do Mundo e Olimpíadas ameaçadas e problemas para dar prosseguimento a ações, principalmente, nas áreas da Segurança e da Saúde. Essas foram algumas das consequências listadas pelo líder do Governo na Assembleia Legislativa do Rio, deputado Paulo Melo (PMDB), para classificar como “inconstitucional” e “descabida” a aprovação da emenda federal que tira a maior parte dos royalties do petróleo e gás do estado. “Essa emenda foi extremamente oportunista e política. Será um rombo de R$ 5 bilhões que não leva em conta vários fatores, como a descoberta do pré-sal. Perdemos o anel para não perder o dedo. Já abrimos mão de um recurso grande do pré-sal para ser distribuído entre os estados, para criar um fundo para a Saúde, o Meio Ambiente e a Educação. Agora, perder esses royalties é como dar entrada em uma Vara de Fazenda Pública e pedir concordata para o Rio de Janeiro”, pontuou Melo, que participa, nesta terça-feira (16/03), de ato de protesto na Alerj.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Galeria de Fotos