quarta-feira, 31 de março de 2010

ÍNDICE INALTERADO DE MORTALIDADE MATERNA PREOCUPA INÊS PANDELÓ

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio, deputada Inês Pandeló (PT), demonstrou preocupação com o índice de mortalidade materna brasileira, que, apesar da redução no percentual da taxa de fecundidade e de natalidade, ainda não se alterou. Ela participou, nesta terça-feira (30/03), do lançamento da campanha “Pré-natal e parto seguro: direitos seus” em Volta Redonda, no Sul fluminense. “O avanço da medicina e do atendimento médico hospitalar ainda não foram suficientes para reduzir o índice de mortalidade materna. A cada dois dias, uma mulher morre em decorrência de complicações no parto, e, ao ano, são mais de 170 óbitos ocasionados por algum tipo de infecção, hipertensão ou hemorragia. Estudos comprovam que 90% dessas mortes poderiam ser evitadas”, afirmou a parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Galeria de Fotos