quinta-feira, 3 de setembro de 2009

ALERJ ACABA COM GRAMPOS E ESCUTAS CLANDESTINOS NO ESTADO

A derrubada do veto total ao projeto de lei 1.746/08, por 46 votos a 0, acaba de garantir o vigor de uma regra que irá pôr fim aos grampos e escutas clandestinos no estado. Assinada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio, deputado Jorge Picciani (PMDB), a proposta estabelece que somente a Polícia Civil poderá utilizar o equipamento de monitoramento de comunicações em sistemas de informática, telefônicos e de escuta ambiental (feita por meio de microfone), a não ser em casos de investigação pela Polícia Judiciária Militar. A regra será agora enviada ao governador Sérgio Cabral, que terá o prazo de 48 horas para promulgá-la. Se ele não o fizer, o texto retorna à Casa para a promulgação pelo presidente Jorge Picciani (PMDB). Para o peemedebista, este é um projeto em defesa do regime democrático. “Não é possível que, patrocinado pelo Estado, com dinheiro do Estado, órgãos que não sejam aqueles que têm a função constitucional de fazer a interceptação telefônica o façam.O Ministério Público pode requisitar, o Judiciário pode requisitar, mas quem deve fazer é a Policia Judiciária, que deve ser fiscalizada pelo MP e pelo Judiciário. Precisamos separar o joio do trigo”, defendeu Picciani.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA
VEJA FOTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Galeria de Fotos